6 meses

Esse post tem gostinho de comemoração. Gostinho de meio aniversário. Gostinho de felicidade. Gostinho de satisfação.

Tudo isso junto é um pouquinho do que estou (estamos) sentindo nesses dias. Manu acaba de completar 6 meses. Meio ano de vida. E bota vida nisso! Energia, risos, descobertas, frustações, vontades, novidades.

Quando contei sobre nossa gravidez aqui no blog, prometi que um dia ia contar um pouco de como Manu chegou, então resolvi falar sobre isso e contar até os dias de hoje.

Cris e eu nos casamos há quase 8 anos atrás (sim, passa muito rápido!) e com a mudança pra cá e todos os ajustes dos primeiros anos de vida de um imigrante, resolvemos esperar um pouco até embarcarmos nessa maravilhosa aventura da maternidade/paternidade. Acabou que, quando decidimos que estávamos ‘prontos’ (alguém aí já se sentiu pronto pra ser mãe ou pai??? Acho que isso não existe, mas…) percebemos que não era bem na hora que NÓS queríamos, e sim a hora que Deus permitiria. E aí, meu camarada, essa hora ninguém sabe qual é. Foram quase 3 anos de tentativas, ansiedade e frustrações. Até que resolvemos procurar nossa médica e falar sobre o assunto. Ela nos encaminhou para um especialista, uma clínica de fertilização. Não vou entrar em detalhes porque seria muito ‘boring’e longo, mas certo é que é muito chato e incômodo todo o processo de quem quer ter um bebê e precisa de ajuda médica. Muitos exames, perguntas, monitoramento durante alguns meses. Sem contar que nada é garantido. Quando você lê as estatísticas, desanima um pouco, mas tudo por realizar um grande sonho.

New folder2

Tudo pronto. Exames OK e uma pequena cirurgia de retirada de um pólipo no ovário, estava na hora de tomarmos a decisão de realizar todo o procedimento de inseminação. Fiz uma ‘aula’ sobre como aplicar uma injeção e assim estávamos só aguardando o dia certo para fazermos o procedimento, quando de repente, PIMBA! Ela chegou. De mansinho. Sem fazer auê, pegou todo mundo de surpresa; papais e médicos. Não precisamos fazer nenhum procedimento. Fiz um teste de gravidez porque minha menstruação estava atrasada, o que era normal, então meu pensamento foi meio assim: “Tomara que sim, mas não posso me empolgar porque sei que isso já aconteceu outras vezes.” Mas dessa vez era verdade, e pra confirmar, tive que usar o outro palitinho de teste da caixinha🙂 .. não estava acreditando. Choramos muito e de imediato, começamos a fazer as contas e ver quantos dias ela tinha e qual o tamanho, etc, etc. Descobrimos que ela era do tamanho de uma semente de papoula (poppy seed) e a partir daí, Manu ganhou seu primeiro apelido dado pelo papai: Papoulinha….kkkk!!

New folder6

Resolvemos esperar um pouco pra contar pra família e só depois dos 3 meses, contamos para a ‘sociedade’…rs. Contamos pra minha mãe no dia do aniversário dela🙂 . Primeira netinha estava à caminho.

A partir daí, tudo foi festa, alegrias e surpresas.  Escrevi um pouco sobre minha gravidez aqui e também sobre o parto aqui. Ainda sou uma mamãe novinha e com pouca experiência, mas sei que nesses 9 meses + 6 meses, já aprendi algumas coisas, do tipo: a gente aprende a ser muito criativa quando queremos distrair um bebê; que a gente é mais forte que um leão quando é pra defender nossa cria; que andar com um bebê na rua te torna muito mais sociável do que você era; que 90% da conversa da casa gira em torna do assunto: o bebê; que você descobre um super pai/parceiro/marido nas pequenas tarefas do dia a dia; que você precisa acrescentar 2 horas no processo tomar banho/se trocar/e sair  e que o ideal é você deixar para se vestir bem pertinho da hora de sair, pois  você pode ser surpreendida por um ‘leitinho a mais’; que existe todo tipo de mãe e todo tipo de bebê e cada um deve “ficar no seu quadrado”; que um bebê une muito a família/parentes – avós se superam e tios ficam mais bobos; que a casa bagunçada, você descabelada, a roupa suja, chegar atrasada ou conversar sozinha na rua são ótimas desculpas quando se tem um bebê – todo mundo te perdoa🙂; que a casa fica muito mais alegre, mesmo se a noite não tiver sido das melhores e finalmente,  que é MARAVILHOSO poder comemorar o dia das mães!

New folder4

9 FUN FACTS

1. Manu ficou seus primeiros 3 dias de vida sem tomar banho. Isso porque nossa parteira recomendou dizendo que aquela gosminha branca que os bebês nascem em todo corpo é o melhor creme anti-rugas, anti-assadura, anti-bacterias, anti qualquer coisa ruim que possa existir. Já que havia 9 meses que ela não tomava banho, porque não adicionar mais 3 dias?!?

2. Manu nasceu às 00:39h de domingo e antes das 4h da matina, já estávamos todos em casa, dormindo nas suas caminhas. Manu, mamãe, papai e vovó. Pois é, com menos de 4 horas depois das 23 horas de parto, já haviam nos liberado do hospital. Achei isso tudo de bom… detesto hospital. Ah! Não posso deixar de dizer que isso não é só coisa de princesa…kkk!! Eu e Kate Middleton tivemos ‘quase’ os mesmos auxílios pós-parto. Na tarde do mesmo dia eu já tinha parteiras vindo até minha casa fazendo exames em mim e na Manu. Acho que sou uma princesa🙂

3. O cordão umbilical da Manu caiu com 5 dias. O que eu fiz pra cair tão rápido? Nada. Absolutamente nada. Mais uma vez o trabalho da parteira entrou em ação. Resumindo a explicação dela: quando a gente usa álcool no umbiguinho, matamos as bactérias ruins e as boas; aquelas que ajudam a “comer” o cordão fazendo com que ele se desprenda do bebê. Aqui eles usam uma espécie de ‘clip’ pra prender o cordão.

4. Tive o privilégio de ter minha querida mamãe (e marido) na sala de parto junto comigo do início ao fim. E apesar dela não falar quase nada de inglês, se comunicava com as parteiras e médica o tempo todo. Quando ela não entendia, cabia a mim ou ao Cris traduzir. Tinha horas que era engraçado, eu estava em meio à dores de parto e o Cris meio tenso, e ela perguntava assim: “O que foi que ela falou??”…kkkk… Foi engraçado e ela com seu jeitinho, cativou as parteiras que a elogiaram no último dia de visitas delas lá em casa.

5. Decidimos antecipadamente que o Cris ia cortar o cordão umbilical da Manu quando ela nascesse. Porém, como o parto foi mais demorado e mais tenso do que o que imaginávamos, na hora de cortar o cordão a médica o chamou e ele, todo assustado foi e disse que a tesoura escorregava da sua mão e teve medo de furar a Manu…kkk!! E o melhor de tudo: pediu minha mãe pra tirar a foto no celular dele e quem disse que ela conseguiu… Moral da história: o que era pra ser um momento sublime, acabou sendo um momento meio de frustração… e sem fotos.

6. No atual guideline de saúde do Canadá, a primeira comida que eles sugerem pra você dar ao bebê (à partir de 6 meses) é… pasmem: carne! Muito exótico ao gosto do pai, então começamos pelos tradicionais vegetais e frutas. A razão por trás dessa recomendação, é por causa de todos os nutrientes, vitaminas e principalmente, o ferro contido nesses alimentos.

7. A primeira dose de vacinas dada nos bebês é somente aos 2 meses de idade e não existe BCG, ou seja, Manu não tem aquela marquinha no braço como todo brasileiro.

8. Passeamos com a Manu em pleno inverno canadense (leia-se: -15 graus e por aí vai) e ela não pegou gripe ou adoeceu ou congelou. Obviamente, sempre bem agasalhada e com todos os apetrechos possíveis.

9. Acho que 60% das coisas que a Manu tem hoje, incluindo roupas, brinquedos e até berço, foram doados – segunda mão. O que nos fez economizar um tantão. Compramos algumas coisas básicas e ganhamos outras, mas desde o início nos colocamos abertos a receber coisas usadas de nossas amigas. Meninas – Dri, Dani, Suzana, Quézia – love you! Manu agradece todas as coisas fofas que foram passadas para ela.

Depois conto mais das minhas descobertas.

New folder3

Esta entrada foi publicada em Datas Comemorativas, Familia, Sentimentos. ligação permanente.

2 respostas a 6 meses

  1. Paty diz:

    Que linda, parabéns e continue crescendo forte e saudável.

  2. daniela diz:

    Parabéns pelo Blog e pela bebê linda.
    Eu e meu marido iremos para Toronto agora dia 27/03 e levaremos nosso filho de 1 ano e 6 meses. Faremos intercâmbio de meses e estou morrendo de medo do frio e do meu bebê ficar doente. Minha dúvida é: pediatra? Como faço se precisar?
    Obrigada!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s