Algumas coisas que não me contaram sobre gravidez

Gente, post atrasadíssimo!! Era pra ter sido publicado a umas 4 semanas atrás, mas muito corre-corre nesses últimos dias e não finalizei a publicação. Então, resolvi permanecer com o texto original, mesmo já tendo nosso ‘pacotinho’ nos braços🙂. Sim, Manuela já nasceu, mas quero dedicar um outro post só para contar essa experiência única. Por enquanto, fiquem com o texto sobre a gravidez até o nono mês.

Ainda faltam alguns dias para finalizarmos essa etapa, mas já posso dizer que já aprendi a maioria das coisas sobre essa fase (o parto não está incluso na lista, afinal ainda não passei pelo Gran Finale).

Bem, fiz uma listinha com uns tópicos interessantes, contando alguns sabores e dissabores que essa fase pode trazer. Vale a pena lembrar que essa foi minha experiência nessa gravidez e ela pode variar a cada filho e de mulher pra mulher.

_MG_2211

Azia/queimação e outras coisinhas– Meu primeiro item da lista já que ela tem me acompanhado desde o início e pelo visto vai até o dia que minha pequena vier ao mundo. Tentei todas as dicas que li e ouvi e nada resolveu: travesseiros extras, pequenas refeições, evitar frituras, refri, etc. Manhã, tarde e noite ela me acompanha e a única coisa que resolve é o famoso e santo TUMS, um anti-ácido que parece uma balinha. O problema é que não aguento mais ver e sentir o gosto desse troço… Mas ao mesmo tempo, fico desesperada se não o tenho por perto. Funciona tira e queda pra mim. Cinco minutos depois de colocá-lo na boca, a bendita azia some… que alívio! Mas também tem uns outros sintomas que eu desconhecia, tipo, olhos secos, dor de cabeça, câimbra e formigamento nas mãos e pernas, esquecimento/falhas na memória, etc, etc. A listinha parece não ter fim!

Higiene e beleza – Nunca imaginei não ser capaz de amarrar meus próprios sapatos… o que significa também que não consigo fazer as unhas do pé, depilar as pernas (faço, mas fica bem ruinzinho) e outras partes do corpo que você pode imaginar. O lado bom da estória é que eu me dei ao luxo de ter uma pedicure desde o segundo semestre🙂 logo após a primeira e única tentativa de pedir ao Cris pra cortar minhas unhas do pé:/ …. Você pode imaginar como ficaram ‘lindas’ as minhas unhas…. Outro ponto desse tópico são os cabelos. Muito se discute sobre o que pode e o que não pode durante a gravidez. Muita coisa ainda não comprovada, mas eu prefiro pecar pelo excesso de cuidado, sem comprometer minha auto-estima. Então, retoquei minhas mechas depois do primeiro trimestre com o mínimo de química possível, mas evitei uma escova progressiva, por exemplo. Mais perto do parto, resolvi ficar morena novamente (usando uma tinta orgânica) por achar que será mais fácil de manter durante o primeiro ano da Manuela.

Vestuário – Estou “ansiosa” para poder vestir todos os meus modelitos novamente. Sinto falta das calças que não cobrem a barriga toda…rs. Roupa de grávida pode ser linda (e cara!), por isso, uma boa pesquisa antes de sair comprando ajuda bastante. Fui em algumas lojas de maternidade e investi uma graninha em um bom jeans, uma legging preta básica e uma outra calça larguinha. Ah! E dois shorts porque fomos pra praia nesse meio tempo. Para a parte de cima, comprei umas duas blusinhas de malha e uma mais tipo ‘casual business’. Depois fui nas lojas de atacado tipo Target, Old Navy e H&M e achei umas blusinhas de malha/algodão bem baratinhas que dá pra usar pós-gravidez também. Comprei dois vestidos coringas e ganhei um da minha irmã Dri. Tive o privilégio de ter duas calças emprestadas pela minha amiga e já mamãe Dayana. Ajudou demais, né? Esse foi meu guarda-roupa por todos os meses…rs. Claro que por algum tempo ainda consegui usar minha roupas normais, mas na reta final, é só essas roupas sairem da máquina que vão direto pro corpo. Agora, quando o assunto é sapato… aí eu digo que sinto muuuito falta dos meus saltos altos. Dei bye, bye pra eles a algum tempo e um welcome para as sapatilhas e rasteirinhas (enquanto o verão me permitiu usá-las). _MG_2219

Parceiro – Como tenho aprendido a importância de ter um companheiro leal, cúmplice nessa fase! Tenho tido a ‘sorte’ de ter um maridão que me apoia, se interessa e está disposto a fazer mudanças quando elas são necessárias, sejam elas sair atrasado para o trabalho porque estou super lenta ou adotar umas tarefas pesadas de casa. Confessso que não sabia que ia precisar tanto do Cris. Até pra pegar uma travessa que está mais no alto do armário preciso chamá-lo…

Movimentos do bebê – Nunca soube que um bebê mexia tanto na barriga e que essa sensação é simplesmente indescritível! Eu a chamo de minha ‘água-viva’ porque essa é a sensação que tenho de vez em quando, que tenho uma espécie de gelatina na barriga que se movimento pra lá e pra cá. Tento explicar pro Cris os tipos de movimento que ela está fazendo, mas vejo na carinha dele uma interrogação de todo tamanho… e sinto muito por ele nunca poder experimentar essa maravilhosa sensação. Tentamos chegar perto dele poder sentir isso; deitados na cama, o abracei e deixei barriga com barriga e ele abriu um grande sorriso. Sentiu os movimentos bizarros que a Manu faz lá dentro. Fica a dica!
E os soluços? Fico com pena quando ela começa a soluçar. Os médicos dizem que é super normal e que não machuca o bebê, mas desde quando soluço é legal?!? Ela fica alguns bons minutos soluçando de vez em quando… Oh dó…

_MG_2242

Consultas – Não sabia que são tantas visitas ao médico ou profissional de saúde que está te acompanhando que como já falei aqui antes, optamos pela ‘parteira’ (midwife). Isso porque minha gravidez não é de risco, mas são muitas as vezes que você tem que sair mais cedo ou chegar mais tarde no trabalho. Não estou reclamando, porque acho super importante o acompanhamento, só nunca percebi que seriam tantas vezes. Além das consultas normais, tem os exames, ultrassons, aulas de pré-natal, etc. Então, contar com um empregador compreensivo é muito importante!

Compras pro bebê em geral – A gente entra em outro mundo a partir do momento que começamos a pesquisar sobre o que e onde comprar as coisas pro bebê. Desde o berço até as mamadeiras, são tantas informações e opções que você pode ficar bem perdido. É importante pesquisar, mas é importante focar no que é importante. Entendeu? Tem coisas que você simplesmente se pergunta: “Mesmo? Um bebê precisa disso?”. Fiz minha listinha baseada em uns três baby’s websites e durante a gravidez fomos comprando (ou ganhando!) as coisas. Ficamos abertos a aceitar coisas ligeiramente usadas e assim poder economizar e comprar outras que realmente gostaríamos de ter novas. Fizemos uma viagem a Buffalo nos EUA como o Cris mencionou aqui e compramos bastante coisas por um preço bem mais acessível. Um objeto que digamos, deu trabalho pra comprar, foi o combo carrinho + bebê conforto. Deixei a árdua função de pesquisar e comparar marcas, qualidade, características e preços para o Cris. No final da estória, acho que gastamos mais tempo pesquisando pra comprar o carrinho da Manuela do que pra comprar nosso próprio carro…rs. Ainda não fizemos o test drive, então espero que tenhamos feito uma boa escolha. A verdade é, que como diz nosso amigo Anton, tudo que compramos é para facilitar a vida dos pais porque o bebê mesmo, só precisa da gente e do nosso amor❤

_MG_2327Quarto – Eu chamo o quartinho dela de ninho. Me sinto como um passarinho a colocar graveto por graveto para montar o ninho para receber os filhotes. De novo, tem tantas opções no mercado que mais uma vez você precisa focar no que quer. Confesso que no início foi um pouco difícil saber exatamente o que eu queria e conciliar com o pensamento do Cris, mas depois as coisas foram se encaixando e com a ajuda da minha personal-arquiteta-irmã Adriane, conseguimos montar o quarto, escolhendo o que deveria ter lá, o lugar dos móveis, a cor da tinta da parede e objetos de decoração. Gastamos algumas horas fazendo teste de tintas até chegarmos nas cores/tons que agradavam nossos olhos. E o nosso super pintor-amigo William Dias, fez um trabalho lindo nas paredes do quarto dela. O quarto está praticamente pronto, mas ainda faltando uns objetos decorativos que vou esperar minha irmã chegar pra contribuir com os ‘palpites’.

Informação/conhecimento – Se preparar para qualquer situação na vida é sempre a melhor coisa que podemos fazer. Inclusive para esse momento tão especial e importante. Não, não existe fórmula mágica e muitas vezes o que os livros e especialistas dizem são examente o contrário do que o que acontece. Mas muitas vezes eles acertam também. Como somos marinheiros de primeira viagem, resolvemos adotar uma linha de pensamento e segui-la, mesmo que algumas coisas fossem totalmente novidade para nós. Estamos seguindo os conselhos das nossas parteiras/midwives, raramente não fazemos o que elas nos sugerem. Posso dizer que tem feito sentido as coisas que elas dizem. Como já é óbvio, as parteiras tendem seguir uma linha mais, digamos, ‘natureba’, evitando medicamentos e explorando mais o que o nosso próprio corpo produz durante a gravidez e pós-gravidez. Fizemos uma aula de pré-natal com uma doula (um outro tipo de parteira) durante um final de semana e amamos a forma que o conteúdo foi transmitido. De forma simples, natural e divertida, a doula nos fez pensar no momento do parto e como devemos encará-lo. Também nos ajudou a entender melhor o corpo da mamãe e do bebê e quão fascinante é essa interação. Fiquei admirada na perfeição e cuidado do Criador quando pensou em como pessoas deveriam vir ao mundo…rs. Por exemplo, nosso corpo libera umas substâncias ou hormônios pra cada estágio do parto (sim, o parte é composto de 3 estágios, mas não vou falar disso aqui pra não me alongar ainda mais). Às vezes, a substância é pra dizer: “Segura firme! Vai doer um pouquinho mas já-já passa”, às vezes é um outro tipo que é liberado dizendo: “Tá na hora!”. Outra coisa que fiquei admirada em saber é que quando o bebê está com febre, as características do leite materno mudam, sabor, cor, textura, temperatura e vitaminas. O corpo da mãe percebe que o bebê não está bem e imediatamente produz um leite mais forte. Incrível! Pelo menos eu achei…

_MG_2269

Também nessa linha de conhecimento, adotamos leitura diária e semanal dos artigos do site Baby Center. Muito bacana e informativo o site. Ele tem em várias línguas, e nos registramos tanto no site do Canadá como no do Brasil. Em termos de artigos, eles mantém sempre a mesma ideia, porém o que muda de um pro outro é quando as informações são locais, específicas para a região que se vive. Achei interessante comparar o modo como a gravidez e cuidados com o bebê podem se diferenciar dependendo do país.

Em suma, pensei que o Brasil poderia investir mais em educação pré-parto, promovendo aulas como essas que tivemos. Iria ajudar muuuitas mamães e talvez o índice de cesáreas iria diminuir (não sou contra a cesariana, mas sempre defendo o modo natural das coisas).

Comida – Não mudei muito minha alimentação durante esses meses por entender que normalmente eu me alimento razoavelmente bem. O que fiz foi comer mais vezes durante o dia, fazer pequenos lanches entre as refeições principais. Não tive muitos desejos loucos, mas minha vontade de tomar sorvete aumentou muuito🙂. Uma coisa que eu adquiri o hábito foi de sempre ter por perto uma garrafinha com água. A todo momento eu tomo um pouquinho, desde manhã e durante a noite também. Água tem sido minha BFF🙂.

Pessoas – família, amigos e todos os demais. Cada um tem sua opinião e todos fazem questão de compartilha-la (mesmo se você não pedir! Hahaha!). Eu gosto de ouvir as experiências , principalmente as boas, mas tem gente que não consegue transmitir nada de bom. Então, é importante os pais saberem filtrar o que ouvem e seguirem o seu instinto. Eu creio que se Deus permitiu sermos pais, Ele também nos capacita para tal função. Se vamos errar?? Com certeza, mas erros fazem parte de qualquer aprendizado.

Vou ficando por aqui mesmo ainda tendo vários tópicos pra compartilhar, mas já tá muito grande esse post. O próximo tópico vocês já sabem: P-A-R-T-O!

Esta entrada foi publicada em Familia, Gravidez. ligação permanente.

2 respostas a Algumas coisas que não me contaram sobre gravidez

  1. Milena Barros diz:

    Parabéns pela filhota!! Que a vida dela seja longa, repleta de saúde e alegrias! Que Deus abençõe a família de vocês! Fico aguardando o post sobre a chegada dela… Quis muito ter o acompanhamento de uma midwife na minha cidade, mas a lista de espera era grande e não consegui… Fiquei curiosa para saber como foi a experiência de vcs!🙂 abraços, Milena

  2. Pingback: 6 meses | Minas Canadá

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s