“Só falta a Luísa que está lá no Canadá”

Antes de falar mais sobre a Manuela, quero deixar registrado como foram esses últimos dois meses aqui em casa. A Manu não nasceu ainda, mas já estamos com mais um novo membro na família, uma ‘filha adotada’.  Luísa, minha irmã de 12 anos está morando com a gente desde quando voltamos de férias do Brasil. Ela ficará aqui estudando por um ano, cursando o Grade 7.

Luisa

Fazendo homework, Visitando a escola, Ultrassom 3D da Manu, Toronto Islands, Cirque du Soleil – Kurios

Tem sido uma experiência muito gostosa e desafiadora para todos nós: ela, eu, Cris, minha mãe e Isac. Tudo ainda muito novo e todos ainda aprendendo a lidar com as mudanças. Luísa sempre foi uma criança muito obediente e determinada. Desde quando viemos pro Canadá, ela disse que um dia queria morar conosco. E cá estamos, nós 4, hoje aqui J

O processo para estudante internacional não é muito complicado, mas um tanto quanto de$$pendioso. Como a Luísa ainda está na 7ª série, ela não pode estudar em escolas católicas a não ser se for batizada em alguma igreja católica (que não é o caso dela). Mas a partir do High School, o estudante tem o direito de estudar nas escolas católicas ou públicas. Vale lembrar que as escolas católicas também são gratuitas (para canadenses ou residentes), porém com  o ensino religioso focado no catolicismo. Para aqueles que estão interessados em saber valores, basta fazer umas pesquisas básicas na net, mas por alto, o valor do estudante internacional é de 15 mil dólares só pra escola e seguro de saúde. Os demais gastos depende de cada pessoa (passagem, hospedagem, alimentação, lazer, etc).

Luisa1

Toronto Islands, Copacabana Restaurant, Demetre Sorveteria, Skyline de Toronto, Cora Breakfast, Lisgar School

Podemos dizer que o saldo dos primeiros meses foi bem positivo, mais do que esperávamos pra ser sincera. Em termos de adaptação, tem sido incrível como ela se parece um camaleão, no bom sentido, claro. Cabeça fresca e aberta a novas ideias e desafios. Tudo que a gente propõem, ela topa. Já fizemos carteira da biblioteca, está participando de aulas de conversação, entrou para o coral da escola (vai fazer até solo?!?), só ainda não se engajou em nenhuma atividade esportiva – mas isso não é o forte dela…rs.

Na escola, também não tem sido diferente. Todas as coisas são novas, desde o formato da sala até não ter uniforme passando por horários maiores de aulas (8:30h às 14:30h) e ter guarda-volumes pra guardar os livros. Sem contar as aulas de música e francês. Sim, além do inglês ela está aprendendo francês…rs. Ela foi super bem recebida pelos professores, colegas e funcionários da escola. Inclusive, a vice diretora foi super simpática em fazer um tour na escola com a gente uma semana antes das aulas começarem. No dia do ‘Open House’ na escola, que é um dia que a escola abre as portas para que os pais conheçam os professores e as instalações do lugar, conversamos bastante com alguns professores e só ouvimos elogios; “Ela é muito dócil, comunicativa, aprende rápido, ótima em matemática…”etc, etc. Isso nos deixou muito orgulhosos e felizes como pais postiços J. Inclusive, a professora comentou que ela já aprendeu a cantar o hino nacional canadense e que muitos dos alunos nascidos aqui não sabem ainda…

Depois de um mês de aulas, podemos dizer que a rotina está começando a ser formada. Começamos levando-a bem cedinho pra escola e ela voltando a pé sozinha. Depois de dois dias a vizinha ofereceu carona para ir e voltar. Ficamos todos muito gratos e contentes com isso. A vizinha é bem simpática e poucos meses mais velha que a Luísa e estuda na mesma escola. Cedo pela manhã, ela sai de café da manhã tomado e tem que levar o almoço já quentinho numa vasilha especial e na lancheira térmica. A adaptação mais uma vez foi mais fácil do que o que esperávamos. Quando chegamos em casa, são várias estórias para serem relatadas e para casa a serem feitos também. Já fez provas e trabalhos e todos com notas excelentes.

Ainda está bem no início, mas já percebemos que a escola tem uma linha mais voltada pra estimular a criatividade da criança. As aulas não são estilo convencionais, tipo, em uma aula de matemática a professora ensina volume pedindo para as crianças mediram toda a sala e calcular quantos marshmallows caberiam lá. Sempre há uma forma divertida inserida no aprendizado, seja através de jogos, brincadeiras, desenhos ou atividades. E desse jeito, ela vai aprendendo a enxergar o mundo de uma maneira diferente. E eu e o Cris temos aprendido muito também.

Claro que a saudade do restante da família, amigos, comida, colegas existe, mas ela tem administrado isso com louvor. Os pais é que ficam de lá chorosos…rs. Não é pra menos, né?

Também está super empolgada com o nascimento da primeira sobrinha e digo que eu também, afinal, terei mais uma ‘mãozinha’pra cuidar da Manu.

Luisa2

Esta entrada foi publicada em Familia, Processo. ligação permanente.

Uma resposta a “Só falta a Luísa que está lá no Canadá”

  1. Pingback: “Só faltou a Luísa que está lá no Brasil…” | Minas Canadá

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s