Commute

Bem, como o Cris falou no último post sobre como ele vai para o trabalho, resolvi compartilhar minha experiência também. Infelizmente, não tão feliz assim como a dele:( Pra mim, só falta pegar barco pra chegar no trabalho.

Pois bem, o meu trajeto é contrário do Cris. Moramos em Mississauga e trabalho em Toronto. O Cris vai pro Noroeste e eu pro Sudeste, literalmente o oposto. São 45 km aproximadamente para chegar e muitos, muitos sinais e rodovias em construção, o que significa mais de 2 horas para chegar. Já fiz várias pesquisas para achar o melhor custo-benefício e ainda estou experimentando alguns trajetos. Minha opção inicial tem sido pegar um bus que para aqui pertinho de casa, descer na primeira estação de metrô já em Toronto e pegar o metrô até o meu serviço que tem um estação coladinha lá. Esse trajeto gasta 1hora e 40 minutos de manhã quando não tem nenhum incidente/acidente. Pra voltar são 2 horas e 15 minutos. Pode ficar com dó, gente. É muito tempo, eu sei, mas é que como estamos em fase de transição e adaptação, estou fazendo esse esforço durante esse período. Ontem, fiz um teste voltando do trabalho. Ao invés de pegar o busu, resolvi voltar de trem (GO Transit). Então, peguei o metrô e fui até a estação do centro da cidade; lá pego um trem (trem mesmo) que me deixa na estação mais próxima de casa e ainda peguei um busão pra terminar o trajeto. A estação de trem é 20 minutos à pé de casa, mas vem cá fazer esses 20 minutos com sapato, casaco, bolsas e frio – se tornam 3 horas de pesadelo! e olha que nem chegou o friozão ainda, hein? Enfim, gastei 1 hora e meia pegando todos os meios de transporte disponibilizados pela cidade… é ou não é de chorar?? Ah, e ainda gastei muitos dinheirinho$$ porque o trem é mais que o dobro do preço da passagem do busão.😦 E ainda tem vários outros detalhes que não contei, porque senão eu sei que iria receber várias mensagens dizendo pra eu voltar pro Brasil (rsrs…), mas o bom de tudo isso é que estou trabalhando🙂 e melhor ainda: num lugar que estou gostando muito. Já são 9 meses lá e tenho me sentido muito bem. Teoricamente, meu contrato acaba final de dezembro desse ano e já surgiram alguns “talvezes” para o ano que vem, mas nada certo. Então, não quero contar com o ovo ainda na galinha – o jeito é orar e orar e pedir à Deus uma direção certa. O ideal seria eu trabalhar aqui perto de casa, claro, mas preciso confessar que procurar emprego é uma das coisas que menos gosto de fazer – e também uma das coisas que eu e o Cris mais conversamos/discordamos. Isso já é assunto pra outro post…

Pra aproveitar minhas 4 horas de viagem diária, tiro uma soneca, leio um livro, converso no telefone com minha mãe e ainda sobra tempo pra olhar pro horizonte.

A propósito, a palavra “commute” é um termo usado aqui e significa viagem diária – que é o que eu faço diariamente.

Uso todos os meios de transporte acima, porém minha sensação é estar andando em uma 

Esta entrada foi publicada em Trabalho. ligação permanente.

4 respostas a Commute

  1. Cesar diz:

    Pior do que o seu, só os meus 60 quilômetros todo dia pra trabalhar.

    E a vida segue…

  2. Não é fácil! Pelo menos a leitura está em dia!

  3. Olá pessoal,

    Me chamo Thiago Mattos e organizo um metablog sobre blog de brasileiros no Canadá: http://vivernocanada.wordpress.com/

    O metablog é meu TCC em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero e gostaria de entrevistá-los para que a história de vocês e deste blog também possa estar presente nessa espécie de coletânea.

    Peço que me escrevam para thmattos arroba gmail ponto com caso tenham interesse em participar.

    Desde já agradeço a atenção,

    Thiago Mattos.

  4. Eliana diz:

    Oi Aline,
    Não deve ser fácil mesmo, mas por aqui a coisa não está diferente, imagine se vc morasse em SP e tivesse de pegar o trem/ busão/ metrô daqui e ficar igual sardinha em lata todo dia pelas mesmas 2h….Isso sem falar no medo dos assaltos etc…
    O trânsito aqui também está um caos, com a economia em crescimento, tem muito carro na rua e o pior é que não tem investimento nas ruas e estradas como tem aí. E os buracos no asfalto?. Quando estive aí, só vi um, e ainda assim estava todo cercado, provavelmente para ser concertado no dia seguinte.
    Ando todo dia cerca de 120km na Rodovia Anhanguera, que de Rodovia só tem o nome pois de tanto carro chega a parar por várias vezes, então, não se cinta só, pois vc tem companhia…..
    Abraço,
    Eliana Paris

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s