“Só falta a Luísa que está lá no Canadá”

Antes de falar mais sobre a Manuela, quero deixar registrado como foram esses últimos dois meses aqui em casa. A Manu não nasceu ainda, mas já estamos com mais um novo membro na família, uma ‘filha adotada’.  Luísa, minha irmã de 12 anos está morando com a gente desde quando voltamos de férias do Brasil. Ela ficará aqui estudando por um ano, cursando o Grade 7.

Luisa

Fazendo homework, Visitando a escola, Ultrassom 3D da Manu, Toronto Islands, Cirque du Soleil – Kurios

Tem sido uma experiência muito gostosa e desafiadora para todos nós: ela, eu, Cris, minha mãe e Isac. Tudo ainda muito novo e todos ainda aprendendo a lidar com as mudanças. Luísa sempre foi uma criança muito obediente e determinada. Desde quando viemos pro Canadá, ela disse que um dia queria morar conosco. E cá estamos, nós 4, hoje aqui J

O processo para estudante internacional não é muito complicado, mas um tanto quanto de$$pendioso. Como a Luísa ainda está na 7ª série, ela não pode estudar em escolas católicas a não ser se for batizada em alguma igreja católica (que não é o caso dela). Mas a partir do High School, o estudante tem o direito de estudar nas escolas católicas ou públicas. Vale lembrar que as escolas católicas também são gratuitas (para canadenses ou residentes), porém com  o ensino religioso focado no catolicismo. Para aqueles que estão interessados em saber valores, basta fazer umas pesquisas básicas na net, mas por alto, o valor do estudante internacional é de 15 mil dólares só pra escola e seguro de saúde. Os demais gastos depende de cada pessoa (passagem, hospedagem, alimentação, lazer, etc).

Luisa1

Toronto Islands, Copacabana Restaurant, Demetre Sorveteria, Skyline de Toronto, Cora Breakfast, Lisgar School

Podemos dizer que o saldo dos primeiros meses foi bem positivo, mais do que esperávamos pra ser sincera. Em termos de adaptação, tem sido incrível como ela se parece um camaleão, no bom sentido, claro. Cabeça fresca e aberta a novas ideias e desafios. Tudo que a gente propõem, ela topa. Já fizemos carteira da biblioteca, está participando de aulas de conversação, entrou para o coral da escola (vai fazer até solo?!?), só ainda não se engajou em nenhuma atividade esportiva – mas isso não é o forte dela…rs.

Na escola, também não tem sido diferente. Todas as coisas são novas, desde o formato da sala até não ter uniforme passando por horários maiores de aulas (8:30h às 14:30h) e ter guarda-volumes pra guardar os livros. Sem contar as aulas de música e francês. Sim, além do inglês ela está aprendendo francês…rs. Ela foi super bem recebida pelos professores, colegas e funcionários da escola. Inclusive, a vice diretora foi super simpática em fazer um tour na escola com a gente uma semana antes das aulas começarem. No dia do ‘Open House’ na escola, que é um dia que a escola abre as portas para que os pais conheçam os professores e as instalações do lugar, conversamos bastante com alguns professores e só ouvimos elogios; “Ela é muito dócil, comunicativa, aprende rápido, ótima em matemática…”etc, etc. Isso nos deixou muito orgulhosos e felizes como pais postiços J. Inclusive, a professora comentou que ela já aprendeu a cantar o hino nacional canadense e que muitos dos alunos nascidos aqui não sabem ainda…

Depois de um mês de aulas, podemos dizer que a rotina está começando a ser formada. Começamos levando-a bem cedinho pra escola e ela voltando a pé sozinha. Depois de dois dias a vizinha ofereceu carona para ir e voltar. Ficamos todos muito gratos e contentes com isso. A vizinha é bem simpática e poucos meses mais velha que a Luísa e estuda na mesma escola. Cedo pela manhã, ela sai de café da manhã tomado e tem que levar o almoço já quentinho numa vasilha especial e na lancheira térmica. A adaptação mais uma vez foi mais fácil do que o que esperávamos. Quando chegamos em casa, são várias estórias para serem relatadas e para casa a serem feitos também. Já fez provas e trabalhos e todos com notas excelentes.

Ainda está bem no início, mas já percebemos que a escola tem uma linha mais voltada pra estimular a criatividade da criança. As aulas não são estilo convencionais, tipo, em uma aula de matemática a professora ensina volume pedindo para as crianças mediram toda a sala e calcular quantos marshmallows caberiam lá. Sempre há uma forma divertida inserida no aprendizado, seja através de jogos, brincadeiras, desenhos ou atividades. E desse jeito, ela vai aprendendo a enxergar o mundo de uma maneira diferente. E eu e o Cris temos aprendido muito também.

Claro que a saudade do restante da família, amigos, comida, colegas existe, mas ela tem administrado isso com louvor. Os pais é que ficam de lá chorosos…rs. Não é pra menos, né?

Também está super empolgada com o nascimento da primeira sobrinha e digo que eu também, afinal, terei mais uma ‘mãozinha’pra cuidar da Manu.

Luisa2

Publicado em Familia, Processo | Deixe o seu comentário

Licença Maternidade no Canadá

No Canadá a licença maternidade pode variar um pouco entre as províncias, então vou falar sobre como funciona aqui em Ontário.

No total, a licença maternidade é de 1 ano e é dividida em dois tipos de licença:

- Licença gravidez (pregnancy leave): 17 semanas antes ou a partir da data do nascimento do bebe e somente a mãe tem o direito a esta licença. As regras para a elegibilidade estão aqui.

- Parental leave (como traduzir esta? Licença para pais?): 35 semanas a partir da licença gravidez ou nascimento do bebe e neste caso o pai ou a mãe podem tirar a licença ou podem dividir as 35 semanas como quiserem.

Quem paga o empregado as licenças é o governo, sendo que alguns empregadores podem ter como beneficio a complementação da licença (top-up benefit), uma vez que o governo somente paga um certo valor máximo do seu salário (atualmente no máximo $514.00 por semana, sendo este valor passível de pagamento de taxas).

Para se ter direito as licenças, é necessário que o empregado tenha trabalhado por pelo menos 600 horas nas ultimas 52 semanas antes de aplicar para o benefício. E deve-se aplicar para a licença assim que parar de trabalhar.

 Apesar de não receber 100% do salário, o grande benefício é realmente ter o privilégio de passar pelo menos o primeiro ano de vida do seu filho/a cuidando dele/a. E o mais legal é que o pai pode fazer parte deste momento e usufruir um tempo com o bebê.  Nossos planos são que a Aline passe maior parte do tempo com Manuela, mas se tudo correr bem, eu espero aproveitar um pouco da licença também.

Existe muita informação na internet sobre a licença maternidade, mas o melhor lugar é sempre o site do governo, que aliás tem tudo bem explicadinho.

Publicado em Gravidez, Toronto | Deixe o seu comentário

5 anos

DSC03523E assim se completam 5 anos nas terras geladas.

No dia 16 de setembro de 2009 saimos do Brasil com destino a Toronto, sem lenço (e com) documento :). Não sabíamos o que viria pela frente e por quanto tempo ficaríamos aqui. Depois de 5 anos, as duas afirmações da sentença anterior continuam sendo perguntadas por nós mesmos frequentemente, mas com a certeza que estamos no lugar certo, na hora certa. Eu diria que 5 anos para um imigrante são como 10, pelo fato de tudo ser novo e você ter que reaprender coisas que já estava careca de saber. Como tudo na vida, dores e delícias compartilham do nosso dia a dia e o bom da vida é isso. Seria muito ‘boring’ se a vida fosse sempre do mesmo jeito, vivesse sempre nos mesmos lugares, tivesse sempre os mesmos amigos e as opiniões não mudassem nunca. Creio piamente em raízes, valores e relacionamentos duradouros, mas isso não tem nada a ver com se enraizar a tal ponto que caso precise mudar de jardim, você irá morrer porque as raízes estão profundas e firmes demais. Viajei agora, mas é porque é tempo de reflexão nas nossas vidas. Eu e o Cris adoramos uma rotina e adoramos surpresas e mudanças. Engraçado isso, né? Parece contraditório, mas nosso conceito é viver a vida, Carpe Diem, todos os dias. E a vida só faz sentido quando temos a certeza do que nos espera após ela. Sim. A gente acredita que somos peregrinos nessa terra e que o futuro é algo inimaginável!

Agradecidos somos ao nosso bom Deus por nos permitir sonhar e realizar nossos sonhos (ou seria os sonhos dEle??). Sem Ele, nada disso faz sentindo. Também eterna gratidão as nossas lindas famílias que acreditam, oram, torcem, lutam, gastam (literalmente, rsrs) junto a com a gente desde o início. Thank you, thank you. Aos amigos, que estão sempre dando e perguntando sobre notícias e também torcem por nós; que graça teria a vida sem amigos? E por fim, a Manuela, que ainda nem chegou nesse mundao, nem sabe o que a aguarda, mas ja contribui imensamente para a nossa felicidade. Obrigada por vir coroar esse ano onde comemoramos 7 anos de casados e 5 de imigrantes._MG_1644

Publicado em Datas Comemorativas | 11 Comentários

Niagara Falls – NY

Quando fomos a Buffalo-NY, não tivemos muito tempo para visitar Niagara Falls do lado americano, mas dedicamos uma tarde do nosso fim de semana para andar pelo Niagara Falls State Park (bem grande por sinal).

NiagaraFallsNiagaraFallsStateParkMap

Se você já foi a Niagara Falls do lado Canadense, sabe aquelas pessoas que vemos do tamanho de uma formiguinha descendo umas escadas vermelhas pertinho da queda americana? Pois é, fomos lá conferir (Este é o passeio a Cave of the Winds Trip).

Assim como o lado canadense, os americanos tiram bastante proveito do turismo em Niagara Falls e o que não faltam são coisas para se fazer. Por $36.00 dólares você pode comprar o Discovery pass que te dá direito a 5 atrações:

- Niagara Adventure Theater: Filme de 40 minutos que conta a história de Niagara e algumas aventuras de seus desbravadores. Eles providenciam fones de ouvido em outras línguas, infelizmente o Português não está na lista.

- Aquarium of Niagara: Sou fã de aquários, e já até escrevi sobre o aquário plantado que tínhamos no Brasil, mas não sei porque este aquário de Niagara não me atraiu muito, mas como não fomos, não posso comentar.

- Cave of the Winds Trip: Neste passeio você pega um elevador e desce 53 metros para poder andar nas plataformas de madeira que te levam bem pertinho da queda americana. As plataformas são reconstruídas todas as primaveras para o verão.

- Niagara Gorge Discovery Center: Centro de informações sobre a natureza de Niagara e sua geologia. É também o ponto de partida para algumas trilhas no parque.

- Maid of the Mist: Famoso barco que leva os visitantes até bem perto das quedas. Se prepare para molhar. Do lado canadense não é mais possível fazer o passeio com o Maid of the Mist. Desde a primavera de 2014 uma nova empresa (Hornblower) está operando os passeios do lado canadense. Pelo que tudo indica, os barcos são mais novos e com maior capacidade.

Como era feriado prolongado, vocês imaginam como tudo estava lotado, mas não queríamos perder a oportunidade e encaramos a fila para irmos ao Cave of the Winds Trip (1 hora e meia de espera). A atração realmente é bem legal e vimos as quedas de um ângulo bem diferente, vejam as fotos abaixo:

DSC04495

DSC04516

Ainda aproveitamos para caminhar pela Goat Island, que aliás é bem grande e nos deu uma canseira. Tivemos que voltar para a entrada do parque de Trolley ($2 por pessoa), uns trenzinhos que ficam rodando o parque, pois Aline e Manuela não aguentavam mais caminhar rsrs.

Faltou bastante coisa para fazer e ver, mas o parque está logo ali (bem ali de mineiro mesmo) e se tivermos oportunidade iremos voltar com certeza.

_MG_2141

_MG_2165

Publicado em EUA, Viagens | 2 Comentários

Compras em Buffalo –NY

Há 5 anos morando no Canadá, ainda não tínhamos feito a travessia da fronteira em Niagara Falls para fazer compras no vizinho debaixo. Já fizemos algumas viagens ao EUA e inclusive escrevi sobre elas aqui e aqui, mas o objetivo era sempre turismo. Desta vez atravessamos a fronteira com o objetivo de fazer compras (é claro que não deixamos de lado a oportunidade e fizemos um pouco de turismo também).

Na região de Niagara Falls, existem 3 opções para você atravessar a fronteira:  Via Peace Bridge (em Fort Erie), Rainbow Bridge (Niagara Falls) e Queenston mais ao norte de Niagara. Nesta viagem fomos via Peace Bridge e voltamos via Rainbow Bridge. Sugiro sempre consultar os sites da fronteira dos dois lados para saber qual o tamanho da espera (aqui e aqui).

Ficamos hospedados no Residence Inn by Marriot próximo ao Walden Galleria e achamos super conveniente a localização. Como a maioria das compras eram para nossa filha que nascerá em Novembro, próximo ao hotel tínhamos Walden Galleria, Carters, Target, Sears, Walmart, Burlignton Baby Depot. E também fomos a região de Niagara Falls Boulevard onde também estão várias outras lojas e entre elas fomos a Baby R Us. E na nossa volta ao Canadá, antes de atravessar a fronteira, fomos ao Fashion Outlets of Niagara Falls.

A grande pergunta é: realmente vale a pena fazer compras na fronteira? Obviamente depende do que irá comprar, mas na minha opinião, a melhor opção seria se você estivesse de passagem para alguma viagem e parar para fazer umas compras (no nosso caso, iriamos para Washington, mas com a Aline de 7 meses de gestação, achamos que a viagem seria muito cansativa e optamos por somente ficar na fronteira mesmo). Os preços no geral estavam entre 30% a 40% mais baratos que no Canada e várias lojas com promoção de Labour Day.

Lembre-se sempre de verificar o site do governo sobre os valores que poderá trazer para não pagar imposto quando retornar ao Canadá. Se ficar nos EUA menos de 24 horas, não tem direito a trazer nada sem pagar imposto, entre 24 horas e 48 horas 200 dólares e acima de 48 horas 800 dólares.

Seguem algumas fotos do pouco turismo que fizemos em Buffalo:

_MG_2088

Prefeitura

Prefeitura

Lafayette Square

Lafayette Square

_MG_2123

Em frente a Lafayette Square, você pode pegar o metro e ir até o Coca Cola field…

No próximo post, vou falar sobre Niagara Falls do lado americano…

Publicado em Diversão, EUA, Viagens | Deixe o seu comentário

Presqu’ile Provincial Park

Este verão pelo visto realmente não vai engatar um calor daqueles que nos fazem até querer o inverno (#sóquenão), mas mesmo assim não poderia faltar um camping. E desta vez fomos acampar no Presqu’ile Provincial Park. O parque fica à 2 horas de Mississauga e é de super fácil acesso. Localizado na cidade de Brighton, que possui somente uns 11 mil habitantes, o parque provicial de Presqu’ile possui umas 8 diferentes areas para se acampar. Ficamos no Lakeside Campground e achamos de super fácil acesso a todas as áreas do parque.

Farol - Vale a pena uma caminhada...

Farol – Vale a pena uma caminhada…

Lago Ontário já foi fotografado do Norte, Sul, Leste e Oeste...

Lago Ontário já foi fotografado do Norte, Sul, Leste e Oeste…

Apesar da temperatura não ter propiciado uma entrada no lago :-( pudemos aproveitar um solzinho e curtir a natureza. A cada ano que passa acrescentamos um item ao nosso kit de acampamento e a vida na floresta fica mais facilitada.

Estas crianças realmente são corajosas viu...

Estas crianças realmente são corajosas viu…

Assim como todos os parques provinciais que já acampamos, a estrutura para receber os visitantes é sempre de primeira. Os banheiros são lavados com frequência, todas as áreas super bem sinalizadas e organizadas.

_MG_1744

 

Desta vez nosso camping tinha uma criança de 9 meses e uma grávida, mas tudo foi super tranquilo e gostoso.

Detalhe para as toalhas para "proteger" do vento..kk

Detalhe para as toalhas para “proteger” do vento..kkkk

_MG_1812

 

Que venham mais campings :-)

Publicado em Parques, Viagens | 3 Comentários

E a família cresce…

its a girlBem, aqui vai o primeiro post de uma seqüência sobre nosso assunto pendente: nosso primeiro baby nas terras geladas!
Antes de mais nada, devo dizer que não cansamos de agradecer a Deus pelo privilégio que Ele tem nos dados de ser pais. Só estamos no início e estamos amando essa ideia.
Vou começar do presente e aos poucos a gente conta como foi o processo (corajoso, diga-se de passagem) de engravidar longe da terra-mãe e longe da família.
De fato, nosso mundo a partir de agora terá mais brilho, mais cor-de-rosa, mais TPM e muitos, muitos laços e fitas! Sim, uma princesa está a caminho. E já tem o nome escolhido: Manuela!
Pois bem, vamos começar pela escolha do nome. Tarefa difícil e delicada, principalmente quando se vive em outro país. Depois de conversas, pesquisas em sites e listinhas dos Top 10, ficamos entre 3 nomes. A questão é que tanto eu quanto o Cris gostávamos dos nomes finalistas, mas decidir era difícil. Tem vários detalhes a se pensar que são óbvios: significado, gente conhecida, muito popular?, muito diferente?, etc. Mas a questão que mais ficamos ‘encalhados’ foi a forma de pronunciar o nome em ambas as línguas. Optamos por um nome brasileiro, então nomes com acentos, til, LH e cia estavam fora de cogitação. Assim, depois de pronunciarmos alguns nomes em inglês, percebíamos que eles perdiam um pouco da beleza do som ou então se pareciam com outra palavra em inglês. Assim chegou Manuela, doce e forte, suave na pronúncia, lindo significado (Deus está conosco). Para futuros papais imigrantes, aconselho já irem pensando em alguns nomes….rsrs.
Outra coisa que posso falar rapidamente nesse post é sobre a escolha do profissional de saúde que está nos acompanhando. Aqui você tem 3 opções: ser atendido pelo seu médico de família (family doctor), por um obstetra ou por uma parteira (midwife). Todos os profissionais são pagos pelo governo e a gente não desembolsa nadinha pelo atendimento deles (já pagamos os impostos, né?).
Optamos por uma midwife. Traduzir para parteira é um pouco grosseiro devido ao fato que no Brasil nossa imagem de parteira é aquela senhorinha que nunca foi na escola mas ajudou a comunidade inteira nascer. Isso é totalmente diferente aqui. As midwives são treinadas e estudadas como qualquer outro profissional de saúde. Fazem curso de 4 anos, estágio e tudo mais. São inclusive muito requisitadas, tanto que quando optamos ser atendidos por uma, tivemos que entrar na lista de espera. Se formos comparar médico X midwife, vamos encontrar várias vantagens e desvantagens, o importante é você pesquisar bem e ver com qual você se sente mais a vontade. Até então, temos visitado a nossa todo mês e a frequência da visita aumenta com a proximidade do parto. Só para  informar os navegantes, meu parto será no hospital (assim espero!!) com todo equipamento, profissionais e conforto necessários. As midwives são registradas em determinados hospitais e podem trabalhar lá normalmente. Além de tantas outras vantagens de termos uma midwife, a que destaca pra mim é o fato de ela ser especializada em gestação, parto e cuidados com recém-nascidos. Ela estudou só pra isso, então me sinto segura. A outra é a questão do acompanhamento mais próximo; elas te dão mais atenção durante as consultas, durante o parto e pós-parto (claro, que temos exceções de todos os lados). Elas inclusive vão até sua casa alguns dias depois do nascimento pra checar se está tudo bem com a família toda.
Sabia que o post ia ficar grande, mas vou tentar contar nossa experiência aos pouquinhos.

Uma dica para futuras mamães: case com um marido lindo como o meu! Cris tem sido super dedicado, amoroso e compreensivo durante esses já quase 6 meses! Isso é muuuuito importante. YOU ARE THE BEST, BABY! :)

Assuntos para possíveis próximos posts sobre gravidez:
O que não me contaram sobre gravidez
Lista de compras de um bebê: isso tudo mesmo?!?
Tentando engravidar: um grande milagre
Decorando o quarto: meu Deus! Quanta opção!

Ah! Não vamos falar só de gravidez e crianças no blog!! Vamos continuar falando de outros desafios da nossa quotidiana vida de imigrantes.

Uma pausa porque Cris, Aline e Manu estarão de férias no Brasil pelas próximas duas semanas.

Publicado em Familia, Gravidez, Sentimentos | 4 Comentários